“Entendi por que Deus me fez assim”, diz Daniel Dias, maior medalhista do Parapan.

O nadador Daniel Dias, atleta paralímpico do Brasil, conquistou sua 32ª medalha em quatro edições dos Jogos Parapan-americanos e se consolidou como o maior medalhista da competição na história.

Em Lima, no Peru, ele é o principal atleta da delegação brasileira. Sua história no Parapan começou em 2007, no Rio de Janeiro, quando tinha 19 anos. Na ocasião, que era sua primeira grande competição, levou oito medalhas de ouro.

Quatro anos depois, no México, subiu ao lugar mais alto do pódio onze vezes. Em Toronto, 2015, mais oito conquistas. Nos Jogos Paralímpicos, que reúnem atletas do mundo todo, Daniel contabiliza 14 ouros, sete pratas e três bronzes, totalizando 24 pódios. Em Campeonatos Mundiais, são 24 ouros e seis pratas

Na quinta-feira, 29 de agosto, após conquistar sua 32ª medalha de ouro na história do Parapan, Daniel Dias comentou o sentimento que vem com a vitória: “Sensação das melhores, é uma alegria estar aqui, aumentar o número de medalhas. Agradeço a Deus por esse dom, amanhã tem mais prova, então vou descansar”, disse o atleta, que nadará nesta sexta-feira os 200m livre.

Uma situação que se repetiu em todas as suas conquistas foi relatada por ele na entrevista da última quinta: “Faço minha oração antes de sair do quarto e depois eu venho me divertir. O que eu já tinha que ter feito e fiz. Tenho ter tranquilidade. Ali o ‘call room’, onde a gente chama, já é um ambiente bem estressado, né… a galera meio nervosa, e eu tento sorrir. Falo ‘cara, vamos nos divertir, independente de sermos adversários na água’. Levamos a amizade pro resto da vida”.

Com tantas conquistas, que mostram uma impressionante superação de desafios, Daniel Dias sempre costuma destacar que sua fé em Jesus Cristo é um fator preponderante.

A mesma deficiência que o permitiu se tornar um atleta paralímpico foi uma adversidade na infância, não apenas pelas limitações físicas, mas pelo bullying sofrido. Em Atenas, Grécia, quando os Jogos Paralímpicos de 2004 se tornaram manchete ao redor do mundo, ele descobriu que havia esportes para pessoas com a sua condição.

Em apenas oito lições, aprendeu os quatro estilos da natação: borboleta, nado de costas, nado peito e nado livre. “Era a maneira de Deus me dizer: ‘Este é o seu dom. Use-o para falar de mim’”, contou Daniel, em depoimento no filme “Luta e Triunfo” (Struggle and Triumph, título em inglês), produção da organização esportiva internacional cristã Atletas em Ação.

Daniel testemunhou que quando decidiu entregar sua vida a Jesus Cristo, um novo cenário se desenhou: “Ele me mostrou várias coisas, e eu pude entender que eu sou a vontade de Deus e que Ele entregou seu único filho para morrer no meu lugar. Quando entendi isso, entendi o amor de Pai”, disse.

Ele contou também que a cada competição em que conquista medalhas, mais entende sobre o propósito de Deus: “Estou começando a entender por que Deus me fez assim. Mas o principal é servi-lo. E viver minha vida como um seguidor de Cristo. Todas essas conquistas vão desaparecer, mas o amor de Cristo nunca vai desaparecer”, afirmou.

Fonte: Gospel Mais

About the author

Related