Estamos “RESISTINDO” ao Espírito Santo?

Se essa pergunta fosse feita a você qual seria a resposta?

Certamente a grande maioria de cristãos dirá… Não! Principalmente os que estão ligados diretamente à música de adoração dessa nossa geração. Falo de compositores, cantores, músicos, produtores, empresários, etc, levando em consideração que todos independentes dos cargos que ocupem dentro da estrutura cristã partimos da revelação de que SOMOS FILHOS de Deus.

A falta de compreensão desse ministério poderoso e em atuação desde ANTES do princípio, que é o ministério do Espírito Santo, tem dado precedentes para uma indústria desgovernada massificar fórmulas temporárias rotuladas como “louvor a Deus”.

De forma TEOLÓGICA, RELIGIOSA E CRISTÃ, estamos resistindo com veemência à atuação do Espírito Santo entre nós! Sim, pasmem queridos… Entre nós.

Digo isso porque todos aqueles que ainda não decidiram seguir e servir a Jesus e tem em nós a esperança da proclamação da Palavra de Deus para experimentarem a salvação, ao fazê-lo, passam  da vida de desagrado a Deus para uma CONVENIENTE etapa de EGOISMO CRISTÃO, onde se estabelece uma relação com base nas NOSSAS necessidades e NUNCA com a MISSÃO do Espírito Santo.

E qual é essa missão?

“Convencer o mundo do seu pecado, da justiça e do juízo” (JO 16:08).

E é exatamente aqui que se estabelece uma linha tênue e perigosa quando o assunto é o louvor como música de adoração e culto a Deus.

Quando a Palavra de Deus já NÃO tem governo em nossas vidas começamos a fazer tudo o que ACHAMOS ser correto, melhor, rápido e eficaz para nós mesmos. Precisamos entender de uma vez por todas que os nossos INTERESSES pelas “coisas” NÃO podem ser maiores que a SUBMISSÃO àquilo que Deus já declarou sobre nós através de Jesus.

O apóstolo Tiago disse:

“Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho
e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência. (Tiago 1:23,24).

Ou seja, se cremos na palavra de Deus como verdadeira e NÃO PERMITIMOS que ela nos transforme, seremos SEMPRE NATURAIS observadores das circunstâncias e vamos pouco a pouco criando um sistema doutrinário permissivo que nos leva a declarar: “Eu sou pecador e miserável” anulando assim a missão do Espírito Santo que é a de nos convencer quanto a INCREDULIDADE.

A nossa música não pode ser só EMOCIONAL. E é a nossa parte no processo é sermos PARCEIROS do Espírito Santo deixando para traz um relacionamento EGOÍSTA e LIMITADO entrando de cabeça no trabalho d’Ele sendo instrumento em suas mãos para que se cumpra o SEU PROPÓSITO!

Pois enquanto resistirmos e não permitimos ao Espírito Santo derrubar o muro da incredulidade em nós, não restauraremos a nossa fé, porque CRER é um fundamento onde essa fé estabelece a ação que NOS ALINHA A TUDO o que Jesus Cristo fez por nós na cruz do Calvário.

Vamos avançar o Reino de Deus!!

Jurandir Rabelo é baiano, cristão, músico de formação autodidata, mas com longa experiência, compositor e produtor artístico. Atualmente está à frente de um grande projeto de evangelismo de alto impacto que consiste num selo musical ou gravadora. Esse é o primeiro selo musical do segmento cristão/evangélico em Salvador/Ba e tem como princípio divulgar, estruturar e reposicionar todo aquele que esteja compromissado com o altar do Senhor Jesus, autor e consumador da nossa fé.

About the author

Related