MDT SUPER BANNER
Igreja

Ebook grátis traz orientações jurídicas para igrejas durante pandemia

“Direito Religioso – Orientações práticas em tempos de Covid-19” é lançado pela editora Vida Nova.

18/05/2020 22h44
Por: Carlos Sobrinho
Fonte: GospelPrime
14

Os advogados Thiago Vieira e Jean Regina produziram um ebook onde reúnem orientações jurídicas para auxiliar igrejas durante a pandemia de coronavírus.

“Direito Religioso: Orientações práticas em tempos de Covid-19” reúne informações e direções para guiar as igrejas locais em sua luta para manter o testemunho do evangelho, amor ao próximo e conhecer seus direitos constitucionais e como defendê-los.

Liberdade religiosa e de culto, relacionamento com as autoridades municipais e estaduais, pagamento do aluguel do edifício de culto, descontos e isenção nas faturas de energia elétrica são alguns dos assuntos abordados na obra.

Os autores afirmam que o propósito da obra é “servir à Igreja brasileira”.

“Todos nós, em maior ou menor intensidade, estamos sofrendo as angústias do isolamento, do desemprego e da falta de dinheiro. E, em meio a tudo isto, sofremos com a impossibilidade de estar em família, aquela que compartilhará conosco a eternidade”, contextualiza Vieira.

O advogado enfatiza que o “exercício de direitos pela igreja é um ato de amor ao próximo e de promoção da verdadeira cidadania”.

O livro é baseado nas perguntas mais comuns recebidas pelo escritório de advocacia VR Advogados (Vieira & Regina), que assessora quase três mil igrejas com soluções jurídicas.

A obra foi lançada pela editora Vida Nova com apoio do Instituto Brasileiro de Direito e Religião (IBDR), Ministério Fiel e o Seminário Martin Bucer.

Para receber a obra gratuitamente basta acessar esse link e fazer seu cadastro: Baixe o ebook

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários