Domingo, 25 de Julho de 2021
71 99238-9495
Cotidiano Política

Em culto, Bolsonaro refuta especulações e reitera compromisso de indicar evangélico ao STF

“Há quatro anos, fiz um compromisso com os evangélicos do Brasil. Indicarei um irmão nosso, evangélico, para que o Senado aceite o seu nome e encaminhe para o Supremo Tribunal Federal. Um irmão nosso, em Cristo”, declarou o presidente.

21/06/2021 13h04
36
Por: Carlos Sobrinho Fonte: Gospel Mais
Em culto, Bolsonaro refuta especulações e reitera compromisso de indicar evangélico ao STF

Diante de especulações de veículos de mídia sobre a indicação que será feita pelo presidente ao STF, Bolsonaro reiterou, durante um culto da Assembleia de Deus, seu compromisso de apontar um jurista evangélico para ser avaliado pelo Senado.

Bolsonaro foi a Belém (PA) para participar da festa em comemoração aos 110 anos de fundação da Assembleia de Deus no Brasil, na última sexta-feira, 18 de junho. Durante sua fala, o presidente reiterou seu compromisso.

“Há quatro anos, fiz um compromisso com os evangélicos do Brasil. Indicarei um irmão nosso, evangélico, para que o Senado aceite o seu nome e encaminhe para o Supremo Tribunal Federal. Um irmão nosso, em Cristo”, declarou o presidente.

Sobre a pandemia, que soma 500 mil mortes atribuídas à covid-19, Bolsonaro pediu orações aos fiéis: “Vivemos um momento difícil. Muitas pessoas perderam a vida. Temos de enfrentar a realidade. Meu governo não destruiu empregos, não humilhou a população. Sempre defendi a vida”, afirmou.

“Temos um país maravilhoso. Ninguém tem o que nós temos. Tenho colaborado para ajudar a mudar certas classes que dominam o Brasil. Nunca devemos perder a humildade, a crença e a fé. Acredito em Deus acima de tudo, mas tenho em vocês, povo do Brasil, o norte que devo seguir. O que for vontade de vocês, eu e meu governo seguiremos. Meu objetivo é deixar um país muito melhor do que o que recebi em janeiro de 2019”, acrescentou.

Durante sua fala, o presidente também lembrou que seu governo está cumprindo outro compromisso assumido: “Hoje, temos um governo que não só fala, mas pratica a verdade. Estamos completando dois anos e meio sem um ato sequer de corrupção no Governo Federal. Isso não é virtude. É obrigação”.

“Tanto fizeram para me tirar o mandato, mas quem me colocou lá foi Ele. Eu só saio de lá se Ele quiser. Não adianta fazer CPI se o objetivo da mesma não é investigar quem recebeu recursos, mas quem enviou recursos”, desabafou o chefe do Executivo.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias