Pastor é interrogado por polícia cubana e ameaçado de prisão

O líder cristão não deveria realizar uma conferência para mulheres, mas ele optou por dar continuidade ao evento

O governo de Cuba ameaçou um pastor do Movimento Apostólico com ações criminais caso ele desse continuidade a uma conferência para mulheres. A Comissão sobre a Situação da Mulher (CSW, da sigla em inglês), da ONU, disse que o pastor Alain Toledano Valiente contou ter sido convocado a comparecer à polícia. Lá, ele foi interrogado por muitas horas. Disse ainda que o comandante da polícia disse que o acusaria pelo crime de “desobediência” caso realizasse a conferência para mulheres. O pastor Valiente disse que faria a “Conferência Débora” como planejado.

Esse não foi o primeiro desentendimento do pastor com a lei. Em julho, autoridades o impediram de embarcar em um avião para os Estados Unidos para participar do Ministerial para o Avanço da Liberdade Religiosa, realizado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos. Diversos outros líderes cubanos evangélicos também foram impedidos de deixar o país para participar do evento.

Além disso, em 8 de agosto, autoridades de segurança cubanas negaram o registro a um novo grupo chamado Aliança Evangélica, de acordo com informações de Alida Leon, presidente nacional da Liga Evangélica das Igrejas. A aliança foi criada por cinco pastores que têm discordâncias públicas com partes da nova Constituição do país. No mesmo dia, o governo encerrou o contrato com uma companhia de entretenimento que oferecia palhaços que espalhavam a mensagem do evangelho, alegando que os palhaços compartilhavam do cristianismo em locais de propriedade do Estado.

Pedidos de oração

  • Interceda pelo pastor Valiente, para que ele não seja condenado após essas ações.
  • Peça por sabedoria, para que ele saiba como lidar com os agentes do governo.
  • Ore em favor da liderança cristã de Cuba, para que seja fortalecida pelo Senhor.

About the author

Related